Quando falamos de um plano de marketing ou de comunicação, a maior parte dos empresários engole em seco! Porquê? Porque não têm nenhum plano.

Quase que aposto que é o seu caso (e que neste momento está a tentar perceber se vale ou não a pena criar um).

A grande maioria dos negócios tem de estar presente online para vender. E por isso é que o investimento em marketing digital é cada vez maior.

Mas, criar um bom plano de marketing ou de comunicação é o ponto de partida para o sucesso.

É preciso traçar objetivos, definir estratégias e perceber o que é que é ou não interessante para a empresa.

E, como é que é possível saber isto se não houver um plano traçado? Exatamente! Não é!

Se ainda está em dúvida, relembramos que o mesmo o ajuda a:

  • Definir objetivos de negócio
  • Definir metas
  • Definir estratégias
  • Conhecer melhor a sua empresa
  • Conhecer a fundo a sua concorrência e as ações que os mesmos estão a desempenhar.

O mesmo pode ser feito com carácter anual, contudo, nunca deverá ser estanque.

Considere o seu plano de marketing um ser vivo (um cacto por exemplo, não precisa pensar nele todos os dias, mas pelo menos uma vez por mês convém ver se está tudo bem).

De seguida explicamos-lhe melhor o que é um plano de marketing, quais as vantagens estratégicas de o desenvolver e como o criar com apenas 7 passos.

Plano de marketing: o que é e quais as vantagens

De acordo com Robert K Skacel autor do livro Plano de marketing “o maior valor deste tipo de planos passa por equipá-lo com um plano de trabalho que aponte resultados específicos e que aponte o caminho para os alcançar”.

O mesmo pode ser criado a pensar numa marca como um todo, ou num produto/serviço em específico.

Independentemente da especificidade do mesmo, este plano deve ser considerado uma ferramenta orientada para a obtenção de resultados.

Mas, existem muito mais motivos pelos quais deve investir na construção de um plano de marketing digital. Algumas são:

  • Conhecimento dos objetivos de crescimento da marca
  • Permite-lhe obter mais conhecimentos sobre o mercado e a sua concorrência
  • Obtém mais informação sobre a sua persona (o que lhe permite canalizar os esforços para o target adequado)
  • Garante uma melhor aplicação do budget
  • Aumento do reconhecimento e autoridade da marca
  • Maior eficiência no planeamento estratégico
  • Permite que toda a organização tenha conhecimento dos objetivos e metas delineadas para determinado período temporal
  • Permite estipular ações e começar a trabalhar nas mesmas atempadamente
  • Aumento da flexibilidade de gestão face a imprevistos

Como vê, este tipo de plano é realmente uma mais valia para qualquer negócio.

Assim sendo, perceba então de seguida como poderá criar o mesmo em apenas 7 passos… Sim, bastam 7 passos… não garantimos é que sejam simples ou rápidos!

Criar um plano de marketing em apenas 7 passos

Criar um bom plano de marketing requer não só tempo, como também pesquisa. Muita, muita pesquisa.

Contudo, se quer desenvolver internamente esta estratégia, deixamos-lhe de seguida a indicação dos 7 passos quer terá de analisar.

1 – Ambiente envolvente

ambiente envolvente

A análise do ambiente envolvente é por norma bastante extensa. Isto acontece porque existem diversos pontos que devem ser cuidadosamente analisados.

No entanto, os 4 pontos essenciais são:

  • Fatores económicos – Deve analisar o crescimento económico do País, quais as taxas de juro, inflação, taxas de câmbio… Isto porque estes fatores têm um grande impacto na forma como as empresas (e os consumidores) tomam decisões
  • Fatores sócio – demográficos – Deve analisar estilo de vida, gostos, comportamentos, taxa de natalidade e mortalidade, índice demográfico (existem muito mais variáveis que pode analisar)…. Ao fazer esta análise vai conhecer melhor os seus potenciais clientes, o que é que eles gostam, qual o seu poder económico, e muitas outras coisas. A partir daí vai ser possível retirar informação que o vai ajudar a estruturar todo o seu plano de marketing e comunicação
  • Fatores político – legais – Contrariamente ao que possa pensar, os fatores político-legais têm um impacto extremamente elevado num negócio. Analise o estado do governo, políticas implementadas na sua área de atuação, enquadramento legal da sua atividade… Estas questões devem ser bem analisadas pois pode encontrar aqui uma maneira de ultrapassar algumas barreiras que até então não tinha pensado
  • Fatores Tecnológicos – O crescimento tecnológico, as alterações e melhorias nas tecnologias, novos softwares… Tudo deve ser analisado de forma a conjugar a tecnologia ao seu negócio para obter o máximo de retorno.

2 – Análise Interna

analise interna

O 2º ponto de um plano de marketing é a realização de uma análise interna.

E para que é que a mesma serve? Essencialmente para responder a questões sobre as quais provavelmente nunca se debruçou (e que são importantes).

Deve ver (e rever) a estratégia atual da empresa, a organização da mesma, quais são os recursos humanos alocados a cada área estratégica.

A par disso, deve também analisar o que está a ser realizado em cada uma dessas áreas.

Além de analisar os produtos, serviços, valores praticados, programas de fidelização e softwares, deve também perceber quais são os pontos fortes e fracos da sua equipa.

3 – Análise Externa

analise externa

A análise externa é outro dos pontos críticos para o sucesso de um plano de Marketing.

A análise dos seus concorrentes (tanto diretos como indiretos) deve ser realizada com o maior cuidado possível.

Isto porquê? Porque só assim consegue identificar corretamente a maneira como eles atuam no mercado. E, se eles estão a ter sucesso dessa forma, porque não fazer algo similar?

Mas, considere que existem 4 pontos que deve analisar muito cuidadosamente. Os mesmos são:

  • Análise de Mercado – Deve fazer um enquadramento da sua empresa relativamente ao mercado em que atua, nomeadamente se o mesmo se encontra em fase de crescimento ou declínio, qual a dimensão do mercado e grau de dificuldade de penetração de novos concorrentes
  • Análise da Concorrência – Neste ponto analise quem são os seus concorrentes, quais os produtos ou serviços que têm, qual a localização e se possível quem são os seus clientes
  • Análise de Cliente – Veja quem são os seus clientes, o que têm em comum, o que desejam e quais são as suas necessidades
  • Modelo das 5 forças de Porter – O modelo das 5 forças de Porter é uma ferramenta bastante utilizada em gestão para verificar a atratividade de um mercado. Deve utilizá-lo para fazer uma análise mais profunda sobre a competitividade da sua área de atuação.

4 – Análise Swot

swot

Para quem não sabe o que é uma SWOT, não é preciso panicar por ser um nome estranho.

Resumidamente é uma tabela que lhe permite analisar simultaneamente as oportunidades e ameaças do mercado (fatores externos à empresa,) e os seus pontos fortes e fracos (análise interna).

Neste ponto, por muito que lhe custe, deve ser o mais realista possível.

E porquê? Porque pode encontrar informações bastante valiosas que o vão ajudar a encontrar novas estratégias de atuação.

Além disso, é possível perceber o que necessita fazer para melhorar as competências internas do seu negócio.

5 – Definição dos objetivos de Marketing

inovação

Este é talvez um dos pontos mais importantes do plano de marketing.

Isto porque é através dos objetivos delineados que vão ser definidas todas as estratégias e as ferramentas para alcançar os mesmos.

Assim sendo, deve determinar quais são os objetivos que quer alcançar durante um determinado período de tempo.

Embora por norma os mesmos sejam definidos a 1 ano, é importante criar objetivos intermédios que permitam o acompanhamento.

Os mesmos devem ser quantitativos (volume de negócios, número de clientes novos…) ou qualitativos (aumento da notoriedade, fidelização de clientes, aumento de quota de mercado…).

Independentemente dos objetivos que estabelecer, lembre-se que os mesmos devem ser sempre realistas e mensuráveis.

Pense em objetivos SMART já que são mais simples de medir:

  • S – Specific – Específicos
  • M – Measurable – Mensuráveis
  • A – Attainable – Alcançáveis
  • R – Realistic – Realistas
  • T – Time-bound – Temporais

6 – Estratégias de Marketing

Depois de definir os seus objetivos, deve escolher quais as melhores estratégias para os alcançar.

Lembre-se que as estratégias devem ser possíveis de implementar e devem ainda estar de acordo com o posicionamento da sua empresa no mercado.

7 – Marketing Mix

marketing mix

Depois de ter tudo estruturado, falta ver o que vai ser feito relativamente ao marketing mix do seu produto ou serviço.

Deve analisar todas as variáveis: preço, produto, comunicação, distribuição (para produtos), processos, pessoas, evidências físicas (para serviços).

Ao realizar esta análise vai poder definir sabiamente o que quer (ou necessita) fazer. Acredite que neste ponto é importante falar com a sua equipa ou com alguém que tenha conhecimentos nesta área.

Embora não seja obrigatório, deve também fazer sempre uma calendarização (para ser mais fácil visualizar ao longo do tempo as ações que vão sendo tomadas) e uma alocação orçamental para ter em conta os gastos que irá ter no decorrer do processo.

Embora os mesmos não sejam definitivos, a verdade é que vão ajudá-lo a determinar quando é que tem de começar determinada tarefa.

Como vê, criar um bom plano de marketing não é propriamente uma tarefa simples ou rápida.

Os 7 passos que lhe indicamos neste artigo, são apenas a versão resumida. Se quiser perceber melhor como fazer este plano, a Rock Content tem um artigo extremamente completo sobre o tema (Plano de Marketing: o guia completo para criar o seu).

É preciso um amplo conhecimento e muita paciência para analisar tudo ao devido pormenor.

Contudo, acredite que irá valer a pena a sua criação, uma vez que o mesmo irá guiar o seu negócio rumo ao sucesso.

Se verificar que precisa de ajuda na sua criação, não hesite em contactar-nos já que a FindUp desenvolve planos de comunicação e marketing.